Blog de anaherminiapaulino


15/08/2016


Reencontros

Quantas vezes a andar por aí procuraste meu olhar, mesmo que distraído. Esbarrou em alguém parecido comigo e desejou que realmente fosse. 
Os caminhos nos levaram para longe, aquela brincadeira do destino de desviar caminhos. O tempo distante serviu para amadurecer, e fazer pensar “ poderíamos ter aproveitado mais”. 
A vida é assim quando há a oportunidade fazemos pouco caso, mas quando nos tiram nos arrependemos de tudo que deixamos de viver. Será que odestino irá te presentear com a vontade de me ver por acaso?
Ainda haverá tempo? Em uma dessas ruas, a andar por aí, em um lugar improvável a gente irá encontrar -se, e se dará certo, somente o destino dirá. 

Escrito por Herminia Paulino às 00h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

08/08/2016


Horas

No tic tac das horas que arrastam -se para passar, na incerteza que grita sobre o que está por vir.  Seria pedir muito para o tempo parar?  

O melhor mesmo seria que voltasse para uns meses atrás, em um dia específico. Seria preciso congelar ele, para que fosse possível sentir tudo novamente sempre que precisasse. Mas o tempo é cruel, voa apesar de hoje o relógio estar lento. 

Mistura de ansiedade com saudade,mesmo a andar distraída nada parece mudar esse sentimento. É preciso paciência até chegar em casa, tomar um banho e dormir horas suficientes para poder esquecer a lentidão de hoje e viver o duvidoso amanhã. 

Escrito por Herminia Paulino às 01h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

04/08/2016


Ruídos

Barulho da chuva a cair, ela sentada a ouvir calmamente a tempestade que vem de fora. Sua mente vai para longe, para quando assustava -se com os trovões. Hoje tem pavor de pessoas que possuem a fala mansa e desviam o olhar.  o tempo ensina a perder alguns medos e termos de outras coisas. 

Resolve puxar a cortina ver os transeuntes a passar apressados, alguns molhados estão, embora seja um caos para quem perambula lá fora,é bonito de ver, a paisagem mudar, as pessoas como em um ballet a irem com pressa.

 Chega a imaginar como deve ser a vida de alguns deles, sorri distraída, logo a tempestade passa,e tudo volta ao normal, igual não,pois a vida está em constante mudança. 

 

Escrito por Herminia Paulino às 00h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

01/08/2016


Inconstante

Barulho da chuva a cair, ela sentada a ouvir calmamente a tempestade que vem de fora. Sua mente vai para longe, para quando assustava -se com os trovões.

  Hoje tem pavor de pessoas que possuem a fala mansa e desviam o olhar.  o tempo ensina a perder alguns medos e termos de outras coisas. 

Resolve puxar a cortina ver os transeuntes a passar apressados, alguns molhados estão, embora seja um caos para quem perambula lá fora,é bonito de ver, a paisagem mudar, as pessoas como em um ballet a irem com pressa. 

Chega a imaginar como deve ser a vida de alguns deles, sorri distraída, logo a tempestade passa,e tudo volta ao normal, igual não,pois a vida está em constante mudança. 

 

Escrito por Herminia Paulino às 23h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

28/07/2016


Vontade

Desejo em vão, despertar de um sonho,aqui estas o que restou da vontade de ontem.  A cabeça a girar, mistura alegria, medo, sorrir, chorar. O juízo partiu, a vontade venceu, o que era bom melhor ficou. 

O perfume que paira, o gosto do beijo, sensações estranhas. Lentamente a levantar da cama, sem pressa para lavar se,para apagar as marcas deixadas.  Entre risos e dúvidas, o desejo que cresce para o quanto antes repetir tudo, a saudade assustadora que esmaga e a angústia para que o tempo voe, para perto de ti estar novamente. 

Escrito por Herminia Paulino às 23h26
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

23/07/2016


O quintal

Ao amanhecer a grama do quintal está branca, da geada que houve na noite passada.  Pega uma xícara de café e resolve caminhar pelo gramado, observa a paisagem,sente o cheiro do mato molhado e um leve arrepio.

 Como por mágica é transportada a um passado não tão longínquo, enxerga a vó ao longe e ouve “ entra o café está na mesa”, os olhos ficam marejados sente o cheiro do café, e ao olhar com cuidado ao seu redor, nota que a paisagem é a mesma,bela,mas existe algo que fora modificado. 

 A menina ficou nas lembranças, assim como a vó a chamar, e preparar o café. A casa não é mais a mesma,mas em seu coração nada mudou. 

A casa simples, com o enorme quintal para desvendar, o balanço que fazia voar. É como se o passado e presente estivessem misturados, sensações confusas. É tempo de entrar, aquecer o corpo e deixar as lágrimas da saudade escorrerem. 

 

Escrito por Herminia Paulino às 00h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

17/07/2016


Sem sentir

Era quente, mas teve que tornar se de gelo para viver, sente toda vez que o machucam mas sorri,ninguém precisa saber que não gostou. Faz que tudo bem,lamentar não mais, melhor chorar sozinha em seu quarto. Lágrimas limpam a alma, e fazem o amanhecer ser diferente. Decepções vem e vão,mas endurecer o coração é preciso para sobrevir a selva humana. Pessoas passam, só permanecem o essencial, e por esses o gelo derrete, e faz tudo por eles. O coração teve de tornar uma máquina para controlar o sentimento, as pessoas deixaram de saber como lidar com eles,para não sermos mal interpretados engolimos nossos sentimentos, e convivemos com nossa ansiedade, insegurança e medos.

Escrito por Herminia Paulino às 01h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Fugaz

Dúvidas que pairam, olhares que traduzem, noite longa porém o tempo voa.  Desejo de rasgar o verbo, mas o que a boca deixa de dizer, o corpo extravasa. O ar de mistério que seduz a meia luz, as vezes parece estranho como de novo tudo pode acontecer.  Os anos passaram, tudo mudou, transformou,talvez aumentado estás. Ou somente ilusão mais uma vez, misturado de paixão. O corpo explode, a hora passa, é tempo de dizer adeus, a cotovia a cantar,a lembrar que o dia está a chegar. Roupas no lugar,almas despidas, foi só mais um encontro fugaz. 

 

Escrito por Herminia Paulino às 01h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

01/07/2016


Transbordar


O amor pira, inspira, transpira. Amassa a alma,lágrimas escorrem, parece que nunca irá passar. Dói como se fosse matar,sufoca a ponto de perder o ar. Enlouquece, amarga, doce loucura de amar.  

Até onde ir por amor, ou deixar de ir,caminhar a flutuar pela multidão, carinhos,carícias, malícia. O amor era para ser puro,mas quem disse que em meio a todos os desejos, ele não continua puro?  

O que importa é a intensidade e ser vivido,rasgado na alma e sentido por todos os poros.  Ah o amor que transborda e borda, enlaces e fins,a cada recomeço um suspiro novo,de novo. 

 

Escrito por Herminia Paulino às 23h49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

28/06/2016


Mudar

Enquanto todos esperamos a mudança, esquecemos de olhar ao redor, o que realmente podemos fazer pelo outro? Desejamos um mundo melhor, mas só esbravejamos para que o governo faça algo. 

É dever de todos  mudar o que pode, batalhar pelo que almeja,a verdadeira mudança parte de nós, e com isto geramos uma corrente, enquanto os nossos braços ficarem cruzados nada acontecerá. Não adianta pedir saúde pública,segurança, educação e  desdenhar do outro.

Nossa cor de pele, onde moramos deveria ser o de menos, se nos importássemos com o todo,  e com toda nossa força nossa parte fizéssemos, tudo o mundo seria melhor e organizado. A mudança que tanto buscamos está em nós, mas  a vontade para tudo entrar no eixo, essa deixa a desejar.

Escrito por Herminia Paulino às 00h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

27/06/2016


Sem Jogos

Caso queira saber os caminhos que deve percorrer para chegar ao meu coração, sente -se aqui tentarei ensinar. Deves chegar de mansinho como quem nada quer,somente desvendar meus segredos que nunca ousei proferir.  Perguntas pode fazer,mas não faça muitas, espere por respostas evasivas. Caminhe ao meu lado, mas por favor sem me deixar esperar, isso cansa qualquer um. Sou clara, portanto enrolar para que? Se quer alguma coisa fale,adivinhar não irei,e se não quer fale,sumir por que?  Mais fácil a honestidade do que o meio termo. Saiba que jogar nunca foi meu forte,portanto jogos de sedução me darão sono, não tente me impressionar, muito menos me elogiar demais, o óbvio cansa. Seja quem for e o que for, o brilho do olhar me atrai mais que um sorriso sonso. E se a química bater?  Apague a luz e vamos viver a vida é curta demais para demorarmos com coisas pequenas. 


Escrito por Herminia Paulino às 00h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

17/06/2016


Dois mundos


Talvez você não saiba o quanto nos perdemos, perto porém distantes, meus medos,seus medos, o que restou? Por trás desses olhares que falam, da desconfiança que paira. Onde erramos? 

Recomeçar poderá ser bom, mas por onde? Existe uma única chance? Como sobreviver a entranhas que escondemos? Ninguém está disposto a falar tudo o que realmente deseja, escolha difícil  ficar ou partir desse cais .

O tempo passou por mais que tente avivar o que se fora não poderá, todo recomeço é enfadonho e as vezes árduo demais, o melhor seria esquecer o que se foi, e viver o presente, mas é complicado quando ambos querem saber sobre o tempo que estiveram ausente um do outro.

A verdade é uma só, já deixamos de sermos os mesmos, olhamos as coisas de modos diferentes, e temos a doce ilusão de tudo ter ficado exatamente como deixamos…Impossível, a vida faz seguirmos a qualquer custo, onde o saudosismo é só uma parte de lembrar de algo que realmente não voltará.

O que quebrou colocado serás, mas ainda assim enxergo as rachaduras e por meio delas lembro-me que é preciso cautela ao querer entrar no seu fundo e revolto caos.

 


Escrito por Herminia Paulino às 01h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

14/06/2016


Adoecemos

Quando o ódio e o preconceito vencem a razão,quem perde somos todos, quando mata-se por cor, raça, sexo e religião, somente nós perdemos. Ao invés de  nos tornamos uma sociedade inclusiva, nos afastamos por pequenezas, desprezamos porque o diferente assusta e desde cedo nos preparam a ficarmos somente com nossos iguais.  

Por que desprezar o amor e ficarmos com a intolerância? O que ganhamos com tantos assassinatos? Estupros, discursos cegos? O mundo caminha por onde? Por lugares escuros, onde a luz  deixou de ser acessa faz tempo, e os gritos ecoam, de socorro, de pedidos de paz, de ódio,misturados todos, formam um barulho jogado a esmo, então a violência toma conta a cortar como navalha, o sangue escorre, pelas lágrimas dos que assistem impotentes a ver corpos estendidos a darem seu último suspiro.

Nós somos os únicos a perder diante de tantos atentados, quando a sociedade adoece, pode-se gritar a esmo as palavras boas e atitudes contrárias, estamos a pagar caro por conta de um falso moralismo, muitos dedos nos são apontados, poucas soluções encontradas. Evoluir na ciência, na tecnologia, seria para melhorar nossas vidas e nos unir, mas ao contrário ajudou a propagar discursos errados e calar a diversidade sexual, racial e religiosa. 

Aos que estão com a mente sã, sem estarem poluídos com todo essa raiva que assola o mundo, ficou a missão de educar as crianças aprenderem que as diferenças foram feitas para serem incluídas em nossos mundos, e jamais nos calarmos diante de tantos casos de ódio, é somente com nossa união, e luta que iremos tentar solucionar essa doença social que está instalada no nosso mundo globalizado.

 

 

Escrito por Herminia Paulino às 00h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

06/06/2016


Entre a razão e a emoção

O amor que sentiam já foi maior que tudo que imaginariam sentir um dia. Foi intenso, ardente,explosivo, ninguém conseguiria explicar, eram diferentes em tudo,mas mesmo assim era amor. 

 Porém não foi para sempre como queriam, foi forte o suficiente para ser inesquecível. As vezes o reencontro é inevitável, sorriem tímidos ocorrem,partem logo pois o sentimento morto não está apenas adormecido, mas o melhor é cada um seguir o seu caminho longe um do outro, a vida nem sempre pode ser vivida motivada pelo sentimento. 

Existem motivos maiores que nos fazem deixar o emocional de lado e viver com a razão, talvez melhor assim para todos. 

Escrito por Herminia Paulino às 00h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

31/05/2016


Doce Lembrança

Hoje vi a ti pela rua,quantos anos mesmo já não o via mesmo que ao longe? Engraçado, envelhecemos,mudamos, mas a sensação ao te ver é a mesma daqueles jovens que um dia amaram-se. Quais são seus novos segredos, sonhos planos? 

Nunca irei saber, a vida tratou de nos afastar e esse breve momento que pude revê-lo, me fez  imaginar como seria se juntos tivéssemos ficado, mas voltei ao mundo real depois de muito fantasiar.  

A única coisa certa que sei é que tem uma nova companheira, que segue sua jornada louca, e se por um momento nos falássemos, você e eu, após um pequeno silêncio, mandaria meu amor a essa pessoa que conseguiu estar contigo . Riríamos um pouco constrangidos, nos olharíamos com toda a cumplicidade que sempre tivemos e seguiríamos absortos em nosso passado,com a certeza que lembranças também podem serem doces.

 

Escrito por Herminia Paulino às 00h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]
 

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, English

Histórico