Blog de anaherminiapaulino


22/02/2018


Acaso

Foi por acaso, sua mão tocou a minha sem querer, um sorriso tímido abri.
Olhei para o céu estava limpo, tentava disfarçar a vontade de encarar te.
Ficamos em silêncio e de repente começamos a rir, e olharmos até que nos

aproximamos e nos beijamos. 
Foi o acaso mais esperado, corações acelerados e beijos intermináveis.
Uma tarde agradável de acontecimentos inesquecíveis, quanto irá durar

ninguém saber a dizer,

mas será uma recordação doce que ficará.

Escrito por Herminia Paulino às 01h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

17/02/2018


Passou

 Mais um carnaval chegou e meu amor por aqui ficou, nas promessas do ziriguidum tudo ai, ouço suas falas eo batuque mistura-se é só folia.

É só alegria em frente a multidão, com pano de fundo que tenta espantar todas as tristezas por estes dias. Disfarçamos nossos dores, amores

por purpurinas que jogamos em nossos corpos como serpentinas que teimas cair sobre nós.

Mais um amor que não é sobreviveu a um carnaval, dias de sorriso que encontrar na quarta de cinzas.

Escrito por Herminia Paulino às 23h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

16/01/2018


Esvair

Pingos de chuva caem, misturam- se com as lágrimas que escorrem, sente o quente de suas gotas

pessoais misturadas aos pingos gelados da natureza.
Não sabe se está liberta ou cada vez mais presa a este sentimento! Já está confusa para saber se há

alguma coisa ou tudo findou. 
As pessoas passavam e observavam ela ali, parada no quintal de sua casa, não olhavam muito pois estavam

apressadas a fugir destes pingos ao contrário dela, inerte estava.
Ao olhar a água que caia mensurava o quanto amou e o mesmo que calou, misturava dor com aceitação. 
Olha para o céu e entra, agradece por permitir chorar pois estava guardando para si havia muito tempo as

lágrimas, e caminha para o banho.

Era confuso, mas parecia estar a lavar a alma, a partir disto decisões seriam tomadas, se libertaria tudo o

que guardava para si e a partir daí deixaria o outro ciente, ou se tomaria somente um banho e deixaria tudo

escorrer pelo ralo.

Escrito por Herminia Paulino às 21h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

11/01/2018


Imaginário

Imaginação somente de alguém que muito sonha, acordado, dormindo.  Transforma tudo em um mundo de possibilidades,

não conseguia conviver com a realidade , achava chocante a brutalidade de tudo que cercava . Preferia viver entre seus

devaneios, a chamavam de louca por assim viver presa a sonhos em um mundo irreal! 

Do real para o irreal, bastava um pulo para conectar-se neste mundo pessoal, era sútil, mas importante este refugio,

um lugar onde havia controle, tempestades eram passageiras, e o sol brilhava muito a seguir.

Fazia isto para proteger de todos que a feriram, ali onde vivia somente habitava quem ela permitia . Tinha a mente fértil

e a alma pura,  sorria sempre, o que fazia mal fingia não ver, entender para prosseguir  de ilusão também é possível viver. 

Escrito por Herminia Paulino às 01h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

29/12/2017


Introspecção

Mude o conceito, a postura, mexa na estrutura, imponha-se. Espere no silêncio absurdo

do outro a resposta que causa efeito! 
Grite, esmurre, chore mesmo que não obtenha resposta faça por você!
A partir do momento que sabem o seu desejo o alívio virá, e o que irão fazer

daquilo que contou deixará de ser problema. 
Quando o caos interior transbordar coloque para fora, não há motivo para afogar. 
Navegue em si, com a segurança que é seu porto seguro. Colabore, mas não espere,

faça por si não pelo demais. 
Seja lembrado pelo barulho que causou e pela saudade que deixou, covardes não

reagem, agem como ratos, abandonam o convés, e você seguirá sem medo

de ter não ter tentado.

Escrito por Herminia Paulino às 00h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

11/12/2017


Dois

A escuridão me pegou transformou meus dias em dúvidas, o que será do amanhã? 
No silêncio ouço meu barulho interior, meus tormentos, e ninguém chega para me socorrer.
Dias e noites confusas até você vir e me colocar em seus braços para me acalentar, trazer luz e a esperança voltar.
A confiança fez renascer a vontade de contornar os problemas, de ver manhãs sem nuvens que encobriam o sol,olhares trocados, sorrisos e parceria. 
Por onde andou que tanto demorou? Então sorri e diz por aí, o importante que agora estou aqui, entrelaça as mãos, torna- se porto seguro, e devolve aos dias calma e juntos são capazes de resolverem os problemas. 

Escrito por Herminia Paulino às 00h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

01/12/2017


Roda


Venha cá menina já é hora de aprender que tudo um dia finda. Os amores, dores, a própria vida! O que

perdura é o que vai contigo em sua alma e as memórias que ficam.
O eterno paira no desejo humano, por temermos os finais, não sabermos o amanhã. Temos ansiedade

por tudo que virá pois é incerto.
A vida é uma roda e em cada ciclo uma aprendizagem, tempestades passam e deixam suas marcas,

algumas apagam com o tempo, outras deixam cicatrizes.
Dias e noites estarão sempre presentes, o que deixamos de saber e quando nós ficaremos ausentes, minutos

são incertos o que é certo? 
A surpresa do dia que virá que nunca sabemos como acabará, por isto menina brinde a vida enquanto é tempo!

Escrito por Herminia Paulino às 01h15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

23/11/2017


Corredor

São muitas a espera no corredor, esperam o que? Pedem, reclamam, oram, mas o que querem? Conversam para o tempo passar,

para apoiar e ver que a outra dor talvez seja maior que a sua. De onde tiram forces para essa soliedaridade? 
Esperam uma palavra, remédios, conforto. Querem seus direitos utilizados por corrupção, são tratados como pessoas, não são de

preferência, esmola, afinal é um direito. 
Largados nos corredores a espalharem suas dores, lutando a própria sorte pela vida não por morte! Choca ver o quanto possível

e quanto é falho. 
A dor une, faz uma solidariedade brotar, como se lutassem pelo mesmo ideal.Acarinhar uns aos outros, não é o que tem, pois

os bens são capazes de serem poucos. 
Mas tudo da vida, de todo sofrimento são humanos, mais que todos os demais, existe amor ali, de tipo raro que não

acha em qualquer lugar e te atras a vida real. 
Todos em uma corrente, um lutar pelo mínimo que é prioridade. Somos nada, e com choque de realidade descobrimos

o quão iguais somos quando cruzamos caminhos que nunca imaginamos e apertamos mãos que nunca mais iremos ver! 
Somos todos um não mesmo corredor que vai separar a vida e morte! 

Escrito por Herminia Paulino às 00h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

05/11/2017


Amadurecer

Dormir com uma idade, acordar com outra, como viver é interessante porque sentimos as mudanças sutilmente. Não é brusco,mas ela existe

 parece um Ballet olhamos o sorriso da bailarina, perfeição dos movimentos, mas não sabemos  o esforço todo que ela está a fazer. 

Parece que a cada idade nova vem um renascimento, reconhecimento, descobertas,  pessoas novas entram na nossa vida, antigos

conhecidos saem. Amadurecimento, é um crescer único e pessoal, intransferível. 

 Marcas que levamos  que chamam de rugas de rusgas que fizemos em algum momento. É impossível que a mudança de idade

deixe de ocorrer só é possível agradecer pelo ano pessoal que virá! 

Escrito por Herminia Paulino às 00h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

25/10/2017


Indefinido

Passa rápido o ponteiro do relógio, como num piscar de olhos passou. A terra gira e nem percebemos, só nos

damos conta quando é dezembro de novo, começos, recomeços tudo novo de novo, ou tudo velho em um

ano novo? 
Dias,meses,horas,pessoas iguais, chatos,inovam,renovam! 
Existem momentos que tudo aparenta mesmice e lentidão, seria um devaneio da mente? Ou realmente

em alguns dias os ponteiros exaustos trabalham lentamente? 
Mistura de dias, continuidade,surpresas, fins,afins, senão! 
Tudo que é lógico torna-se indecifrável em questões de segundo. Nada é imutável, dias são

sequências inconstantes de horas que passam. 
Vivemos,convivemos, esperamos o indefinido que achamos que podemos definir!

Escrito por Herminia Paulino às 00h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

12/10/2017


Romper

O fino fio que a fazia ficar serena estava esticado demais, qualquer falta de cuidado romperia,  estava no limiar da loucura com a calma.

Por ser tão frágil buscava refúgio em conversas sobre nada, em contemplar a natureza, tudo que não alterasse a pouca paz que precisava

para os dias que viriam. Era uma calmaria por fora, mas assim como o mar estava revolta em suas profundeza. Tentava ignorar este fio, os

avisos e seguir para não perder a meada e ter a noção exata do que fazer. Mas por forçar- se a ficar bem o  que restava eram dúvidas,

 são tantas as formas para agir,mas qual a melhor? Esperar o turbilhão cessar? Ou aproveitar se dele para causar o maremoto? Limiar

demais para saber,  sempre a fugir para esquecer tudo o que está a tirar do sério, mas o fio volta e meia mostra que romperá.  Fica

no meio entre a fúria e a calmaria, detesta o meio termo, mas tem medo de como este fio será arrebentado. Ao perder a linha tênue,

perderia estribeiras que causam danos irreparáveis, sandice e sanidade de mãos dadas,  a lutar para manter o fio ali,se possível

nãofor, se tudo acabar qual dos dois irá ganhar? 

Escrito por Herminia Paulino às 01h18
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

24/09/2017


Névoas

É vendaval em noite de luar,  temporal em dias de tormenta, cura e loucura. Andar por um fio e a todo instante sentir ele

balançar, enlaçar as mãos e apertar para ter certeza que ali estão.

Olhar e sorrir, ver e duvidar, apertar para sentir, chorar e abraçar. Entrelaçar para não despedaçar, acalentar quando o frio chegar,

desejar em segredo e fugir. Medir o tempo ausente e sentir uma pontada,  ver o tempo voar quando juntos estão, esmorecer

quando a despedida chega.

Fazer de conta que tudo bem ficar muito tempo sem estar juntos, e caminhar por entre pedras, sentir como se todas entrassem

no sapato, ficar incomodado e dar um sorriso amarelo. Ao escurecer tudo fica estranho entre nós, então so resta esperar o

amanhecer para sem as névoas ver você! 

Escrito por Herminia Paulino às 01h15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

31/08/2017


Ambíguo Querer

Deveria saber que quando nossos olhos se cruzam o mundo para por uns minutos.  O sorriso congela, e vem um calafrio, tão aguardado

estes momentos e como passam rápido. Aquela pessoa que domina sua mente, seu corpo, seu desejo secreto, tudo é errado e incoerente,

mas basta encontrarem -se para haver sentido. É o desatino quando está longe, enlouquecedor quando tocam-se, é o mais ambíguo dos

sentimentos. Tens me até quando estou longe, perde me em pequenos detalhes.   O mundo gira, nossas mentes desencontram, os

caminhos sinuosos provocam estranhamento. São pequenos toques, gestos que desmancham, memórias que afloram e misturam o

com presente momento. A confusão deliciosa que dois seres podem viver, confusão com gosto, cheiro, olhar. Linha tênue

que junta e separa ao amanhecer. 

Escrito por Herminia Paulino às 00h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

09/07/2017


Abismo

Incrível como conforme crescemos, antigos conhecidos tornam-se meros estranhos, e quanto mais o tempo

passa ficam só lembranças das risadas pós almoço, da divisão da cama, e dos segredos trocados. 

Onde erramos que nos perdemos de pessoas que terão eternamente laços consanguíneos? Tudo torna-se

memórias reavivadas quando vemos, mas o abismo criado não permite muita conversa, aproximação, carinho.

Tudo frio, mecânico,obrigação formal, nada dará liga mais, são só lembranças.

Jogamos fora uma vida, por fofocas, posição social, amor e cumplicidade tornam doces lembranças de infância.

O tempo voa leva por caminhos diferentes, e temos de encarar algumas pessoas, como parentes desconhecidos.

Escrito por Herminia Paulino às 23h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

29/06/2017


Por vir!

Nos imaginamos seres perenes, cheios de nós mesmos, caminhamos a largos passos, cremos dar conta de tudo.  

Até que um dia as coisas mudam, e descobrimos que na verdade somos perecíveis e precisamos uns dos outros. 

A vida quando menos esperamos nos atropela, joga em nossas faces o quanto temos prazo de validade.

Para sempre só existe até o momento acabar, viajamos todos os dias para finais incertos.


O amanhã é um grande talvez, não somos ciências exatas, somos o que estiver por vir! O que irá vir?

Pergunta impossível de responder, fazemos planos inacabados com percursos mudados, de linear some

nte o traço desenhado, na verdade a vida é curvilínea, devemos  nos moldar para caber em novas circunstâncias. 

A única certeza é o tempo, este marca sem piedade sempre no mesmo compasso !

Escrito por Herminia Paulino às 00h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]
 

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, English

Histórico